14
dez

Sem a existência de um amplo debate, ou até mesmo divulgação na imprensa esportiva de Salvador, a direção da Federação Bahiana de Futebol reuniu a Assembleia Geral Extraordinária da FBF, na manhã de terça-feira, discutiu e votou as atualizações Estatuto da entidade. Com a nova mudança, o atual presidente, que já tem 16 anos no comando do futebol baiano, pode se segurar no cargo com reeleições até 2026. A convocação para a AGE foi publicada na edição do dia 2 de dezembro do Jornal Correio.

Entre os participantes da silenciosa Assembleia geral da FBF, apenas sete dos 10 clubes que disputam a 1ª Divisão em 2018, apenas tres representantes de clubes da 2ª Divisão, Atlético de Alagoinhas, Ypiranga e PFC-Cajazeiras, e alguns representantes de Ligas Municipais de algumas regiões do estado. As principais alterações do Estatuto são:

A partir da próxima eleição, o Conselho Diretivo eleito terá um mandato de quatro anos com direito a apenas uma recondução; Um atleta profissional com contrato em vigor na Série A do Baiano será escolhido pelos dez clubes para representar toda a classe, com direito a um voto; A distribuição de votos para Assembleias Eletivas foi mantida. Cada Liga Municipal de futebol não profissional tem direito a um voto. Já para os clubes profissionais são garantidos de 3 a 6 votos; A partir de agora, todas as competições da entidade serão reguladas pelo Regulamento Geral de Competições da CBF; Os departamentos Técnico, Intermunicipal e de Futebol Feminino passam a ser integrados a um único departamento, a Diretoria de Competições da FBF.                Informações Trbn

Publicidade